Keblinger

Keblinger

Eu tenho a sorte de viver cantando E o céu a me ajudar

| domingo, 18 de setembro de 2011

Páginas ao vento em confissão
Luas de setembro, céus em minhas mãos
Nuvens em assombro e procissão
Luas que me lembram noites que virão
Abre-se a razão sobre a razão de ser
Como no instante de te ver
E eu vejo a vida vindo ao meu encontro
E vejo agora o que amanhã chegar
Eu tenho os olhos sobre o teu encanto
E tudo a desvendar
Os quatro cantos desse mundo
Eu tenho a febre feita de alcançar
E tenho a força bruta das palavras
Ditas para amar



Mágicos inventos de verão
Luz e movimento, tempo em prontidão
Chamas de um incêndio e mansidão
Noites que amanhecem dias que virão
Abre-se o clarão sobre a razão de ser
Como um milagre a percorrer
E eu tenho o sol guiando meu caminho
E tenho as senhas pra te conquistar
Eu tenho o norte sob o fio da espada
E cada dia a me esperar
Nos quatro cantos desse mundo
E tantos quantos tenha de alcançar
Eu tenho a sorte de viver cantando
E o céu a me ajudar




Porto Alegre, Confissão, Nei Lisboa

2 comentários:

{ VeraBruxa } at: 18 de setembro de 2011 13:56 disse...

Olá!
Porto Alegre é linda! Admiro tua ideia de usar imagens da tua cidade (minha capital) para ilustrar belas letras.
Abraço.

{ Os Olhos de Alice } at: 18 de setembro de 2011 16:43 disse...

Vera eu amo Porto Alegre....beijo

 

Copyright © 2010 Os Olhos de Alice