Keblinger

Keblinger

E abro os meus braços pra você.

| terça-feira, 23 de agosto de 2011


Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
Pra você parar em casa, qual o quê!
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
Quando diz que não se atrasa
Você diz que é um operário, sai em busca do salário
Pra poder me sustentar, qual o quê!
No caminho da oficina, há um bar em cada esquina
Pra você comemorar, sei lá o quê!
Sei que alguém vai sentar junto, você vai puxar assunto
Discutindo futebol
E ficar olhando as saias de quem vive pelas praias
Coloridas pelo sol
Vem a noite e mais um copo, sei que alegre ma non troppo
Você vai querer cantar

Na caixinha um novo amigo vai bater um samba antigo
Pra você rememorar
Quando a noite enfim lhe cansa, você vem feito criança
Pra chorar o meu perdão, qual o quê!
Diz pra eu não ficar sentida, diz que vai mudar de vida
Pra agradar meu coração
E ao lhe ver assim cansado, maltrapilho e maltratado
Como vou me aborrecer? Qual o quê!
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
E abro os meus braços pra você.

Chico Buarque, Fernanda Takai, com açúcar com afeto...Porto Alegre...inverno!

3 comentários:

Anônimo at: 23 de agosto de 2011 18:23 disse...

http://www.youtube.com/watch?v=V-u8WZBcn6w&playnext=1&list=PL0EB3E7C20BBEC125

Sempre cantei esta mísica, entre outras, do Chico.

{ VeraBruxa } at: 25 de agosto de 2011 15:25 disse...

Olá!
Bela letra! Masss...meu tempo de aceitar este papel...qual o quê? Já passou, rsrsrs
Abraço.

{ Os Olhos de Alice } at: 25 de agosto de 2011 17:47 disse...

meu também...Deusulivre!!! hehe

 

Copyright © 2010 Os Olhos de Alice