Keblinger

Keblinger

E naquele momento eu pensei que poderíamos ser infinitos se fossemos música. E isso explica tudo, mas ninguém entende. Você entende. Mas cadê você?

| quarta-feira, 22 de junho de 2011



 

E naquele momento eu pensei que poderíamos ser infinitos se fossemos música. E isso explica tudo, mas ninguém entende. Você entende. Mas cadê você?

Quando vai dando assim, tipo umas onze da noite, o horário que a gente se procurava só pra saber que dá pra terminar o dia sentindo algum conforto. Quando vai chegando esse horário, eu nem sei. É tão estranho ter algo pra fugir de tudo e, de repente, precisar principalmente fugir desse algo. E daí se vai pra onde?
Tati Bernardi





Chorar não adianta, eu seco de tanto chorar e não passa. Ver TV, falar ao telefone, dançar, gritar, escrever, abraçar minha mãe, tomar suco de manga… nada adianta.
Eu sei, eu sei, o eterno clichê “isso passa”. Passa sim e, quando passar, algo muito mais triste vai acontecer: eu não vou mais te amar. É triste saber que um dia vou ver você passar e não sentir cada milímetro do meu corpo arder e enjoar. É triste saber que um dia vou ouvir sua voz ou olhar seu rosto e o resto do mundo não vai desaparecer. O fim do amor é ainda mais triste do que o nosso fim. Meu amor está cansado, surrado, ele quer me deixar para renascer depois, lindo e puro, em outro canto, mas eu não quero outro canto, eu quero insistir no nosso canto.
Tati Bernardi



"Por mais que todas as terapias do mundo, todas as auto-ajudas do universo e todos os amigos experientes do planeta me digam que preciso definitivamente não precisar de você, minha alma grita aqui dentro que, por mais feliz que eu seja, a festa é sempre pela metade.
É você quem eu sempre busco com minha gargalhada alta, com a minha perdição humana em festejar porque é preciso festejar, com a minha solidão cansada de se enganar.!"
Tati Bernardi


...Calma, raciocínio e estratégia são dons de amor que para para racionalizar. Amor que é amor não para, não tem intervalo, atropela.
Não caio na mesma vala de quem empurra a vida porque ela me empurra. Ela faz com que eu me jogue em cima de você, nem que seja para te espantar.
Melhor te ver correndo pra longe do que empacado em minha vida." Tati Bernardi



 Se foi...como tudo se vai...como este verão acabou...e sabe...graças a Deus!!!

7 comentários:

Anônimo at: 23 de junho de 2011 14:26 disse...

Nossaaaaaa.....intensíssima..valeu

Anônimo at: 23 de junho de 2011 14:26 disse...

eleonora é o anônimo...anônimo total...

{ Os Olhos de Alice } at: 23 de junho de 2011 16:25 disse...

pois é estou nesta fase...intensa!
valeu Eleonora anônima...

{ Os Olhos de Alice } at: 23 de junho de 2011 17:09 disse...

Melhor te ver correndo pra longe do que empacado em minha vida. minha verdade...

Tuty at: 23 de junho de 2011 18:22 disse...

Olha só: ali em cima, muito louca, o texto da Tati Bernardi... onde diz que o amor para para racionalizar não tem mais o acento do primeiro para, falô? Mas não para de botar estes teus textos porque são muito bons... cada dia tu me surpreende mais... Beijo.

{ Os Olhos de Alice } at: 24 de junho de 2011 03:01 disse...

obrigada Tuty, vou tirar o acento...

{ Os Olhos de Alice } at: 24 de junho de 2011 03:13 disse...

tirei dos dois para....e agora?

 

Copyright © 2010 Os Olhos de Alice