Keblinger

Keblinger

Eu não quero ir embora e esperar o dia seguinte

| quarta-feira, 29 de junho de 2011






A  felicidade, assim como a bebedeira, vai e vem. A felicidade, assim como o sexo, entra e sai. A felicidade, assim como ele, era impossível. Mas não é pra tentar ser feliz que a gente vive?






No fundo, mesmo lendo tanto, pensando tanto e filosofando tanto, a gente gosta mesmo é de quem é simples e feliz. A gente não se apaixona por quem vive reclamando e amassando jornais contra a parede. A gente se apaixona por esses tipinhos banais que vivem rindo. E a gente se pergunta: que é que ele tem que brilha tanto? Que é que ele tem que quando chega ofusca todo o resto?




Eu não quero ir embora e esperar o dia seguinte. porque cansei dessa gente que manda ter mais calma. E me diz que sempre tem outro dia. E me diz que eu não posso esperar nada de ninguém. E me diz que eu preciso de uma camisa de força. Se você puder sofrer comigo a loucura que é estar vivo. se você puder passar a noite em claro comigo de tanta vontade de viver esse dia sem esperar o outro, se você puder esquecer a camisa de força e me enroscar no seu corpo para que duas forças loucas tragam algum equilibrio. Se você puder ser alguém de quem se espera algo, afinal, é uma grande mentira viver sozinho, permita-se. Eu só queria alguém pra vencer comigo esses dias terrivelmente chatos.









— MOVIECLIPS.com





Textos de Tati Bernardi, fotos tiradas no Sitio da Magda e do Sérgio, nos arredores de Gramado, em um dia de verão com cara de inverno. Estas fotos foram tiradas com a minha velha maquininha portátil, aposentada.

3 comentários:

{ Sexo c/ Amor? } at: 30 de junho de 2011 06:46 disse...

Se eu pudesse escolher, seria o Frejat, com certeza ou sem certeza nenhuma!
beijo

Magda at: 30 de junho de 2011 11:01 disse...

Reconheci as fotos!! Quando vocês vão aparecer por lá de novo? Dessa vez tem que pousar. Beijos

{ Os Olhos de Alice } at: 30 de junho de 2011 13:28 disse...

Magda....com certeza vamos combinar para pousar!!!!
beijos

 

Copyright © 2010 Os Olhos de Alice